Discurso de Apresentação na primeira Sessão Plenária de 2017

Senhor Presidente, senhoras e senhores Vereadores, cidadãos cariocas, muito boa tarde.

É com muita honra, Senhor Presidente, que eu subo a essa tribuna, neste 15 de fevereiro, como o primeiro parlamentar eleito pelo Partido NOVO no Rio de Janeiro. E como a praxe e os bons costumes nos ensinam, este é um discurso de apresentação.

O NOVO é um partido que surge, Senhor Presidente, como o próprio nome já diz, de um movimento, uma vontade popular de renovação. Renovação não apenas de mandatários ou representantes, mas acima de tudo de ideias e instituições, que tão caras são ao amadurecimento de qualquer democracia. Valores como as liberdades individuais, o indivíduo como motor do progresso, a igualdade de todos perante a lei, o livre mercado careciam de uma defesa fiel, careciam de uma posição clara no espectro político brasileiro. Eis que nós, em 2016, Partido NOVO, nos levantamos, com 4 mandatários eleitos Brasil afora, para ocupar tal posição.

Apesar de hoje estar político, Senhor Presidente, nunca tive experiência ou significativo contato com o meio. Sou engenheiro por formação, economista matemático por vocação, rábula por admiração à letra da lei e, hoje, Vereador por dádiva do povo carioca. Dito isso, de mim, este Parlamento pode esperar muita humildade e atenção. Trazendo sempre em mente os valores e compromissos que me alçaram a essa posição, Senhor Presidente, meu objetivo aqui é um só. Prestar, com os meios que dispuser, o melhor serviço e entregar os melhores resultados para o Rio.

Estou utilizando esses primeiros meses para conhecer, de forma sólida, as instituições Municipais e as questões que as afligem. Não serei um parlamentar pautado pelos olhos de terceiros, Senhor Presidente. Faço questão de ver com os meus próprios, para só então fazer qualquer juízo de valor. Não serei daqueles que, de maneira irresponsável, fazem uso da demagogia fácil em prejuízo da verdade ou das boas atitudes do Parlamento, para simples fins eleitoreiros. Não responderei às galerias lotadas por grupos de interesse quando isto implicar em prejuízo à massa difusa e desorganizada. Não tenho, isso é bom que fique claro desde já, qualquer compromisso com reeleição. Estou muito mais interessado na consolidação de uma instituição, chamada NOVO, Senhor Presidente. São de instituições que nós carecemos, e não de heróis.

Da minha parte, muito mais me interessam as pautas que nos unem, do que as que nos dividem. Acredito que o Parlamento deva dar exemplo de unidade e protagonismo em prol do Município do Rio de Janeiro, ao invés de se perder em querelas e empreitas de pouca relevância na vida do carioca comum ou rixas infrutíferas entre base e oposição. E digo isso também para deixar claro, desde já, que de mim, haverá sempre um julgo independente acerca das proposições aqui postas em debate, sendo conduzido, unicamente, por aquilo que a minha consciência creia ser o melhor para a Cidade do Rio de Janeiro. Afinal de contas, Senhor Presidente, esse é o mínimo que todo cidadão deve ter dos seus representantes.

Muito me são afeitas as questões de controle externo e controle social, o intercâmbio e parcerias entre as Instituições e a Sociedade Civil, a utilização de tecnologia para ganhos de eficiência da máquina pública, e os temas correlatos às áreas de saúde, educação e empreendedorismo. Todos esses, Senhor Presidente, pontos que trarei ao debate no momento que for oportuno. Digo isso porque não trago comigo a pressa ou a necessidade de promoção dos se assenhoram do mandato, como se nada mais houvesse fora da vida pública, o que, por vezes, sacrifica a qualidade do trabalho legislativo.

Por fim, Senhor Presidente, gostaria de afirmar que não me furtarei aos embates neste Plenário, com quem quer que seja. Mas que, da minha parte, as discordâncias em uma questão não vinculam, em nada, as atitudes em outras. O que se busca é prestar o melhor serviço ao Rio de Janeiro. E tudo que vá nesse sentido, Senhor Presidente, com certeza, contará com o meu apoio. Muito obrigado e uma excelente tarde a todos.